Nicolau Saião


Flauta de Pan
Lisboa, Edições Colibri, 1998, p. 24.






R. V.

Inquietação e solenidade. Ao longe
nos contrafortes da serra, casas e árvores
na sombra. A lembrança de um passado
feito de muitas leituras cruzadas, a incógnita
dum futuro nostálgico, de vozes desconhecidas, de
interrogações fortuitas (Será possível que se saiba
o que de facto se pensa, o que se aprendeu ou sonhou
o que foi realmente a nossa rota?) ou então
a certeza de que não foi em vão que se olharam
as pessoas, os seres que por nós passaram, as
deambulações por praias e bosques (a visão dum
fruto, o sabor dum repasto, a silhueta de alguém
numa rua onde a chuva caía). Nada afinal poderemos
adivinhar, nada poderemos dizer – se a recordação
de tudo o que fizemos ficar retida noutras palavras
– instante perpétuo que perdêmos
sem que o soubéssemos, por nossa incauta razão.

3 comentários:

JOICE WORM disse...

Que espectáculo de escrita Ruy. De pensar que só morando em Espanha é que conseguí descobri-lo...
Agora será obrigação da minha parte descobrir também onde está nas livrarias.
Espero também chegar a publicar os meus contos e crónicas. Enquanto isso, vou escrevendo, escrevendo, escrevendo...
Um grande abraço de uma nova leitora. Se me permite, vou fazer um linck do meu Blog ao seu. A maioria dos meus leitores são pessoas que gostam da Literatura.
Bem haja! Parabéns!

RUY VENTURA disse...

Um grande abraço de agradecimento! Em Espanha creio que conseguirá comprar o meu livro mais recente, "El lugar, la imagen", na Editora Regional da Extremadura

JOICE WORM disse...

Uau. Entrei aqui hoje exactamente para perguntar qual o livro que você me aconselharia comprar primeiro e se iria encontrar aqui... Boa! Não vou perder esta oportunidade. Ontem houve feira do livro aqui em Badajoz e eu não pude ir... Devia estar lá também. Mas vou à Universitas amanhã procurar, ou só posso comprar na Editora Regional? Hummm...
Um grande abraço para ti também!